22/11/2018

OBSERVATÓRIO FIESC MONITORA INDICADORES DE SAÚDE

Informações disponibilizadas na plataforma são fundamentais para a tomada de decisão de empresários catarinenses.

A tomada de decisão faz parte da rotina diária de todas empresas, seja ela grande ou pequena. Investimentos são feitos com base na análise de informações, no estudo de bons cases e na observação de tendências, por exemplo. E, para tanto, é cada vez mais necessário que dados e informações sejam disponibilizados de maneira sistematizada e estruturada. A área de saúde acompanha essa tendência. Com o apoio da tecnologia é possível ter acesso tanto a dados individuais quanto a coletivos, como, por exemplo, acompanhamento de sinais clínicos de pacientes e definição de perfil populacional de consumo de medicamentos.

Com o objetivo de apoiar o fortalecimento da indústria catarinense através do monitoramento de fatores que afetam a sua competitividade, o Sistema FIESC lançou em 2015 o Observatório FIESC. “Temos como missão empoderar a indústria com informações que permitam a tomada de decisão como mais segurança e assertiva, assim entidades e indústrias de todos os portes e setores aumentam seu desempenho, tornando a economia do Estado mais competitiva, sustentável e dinâmica”, acredita o Gerente do Observatório FIESC, Sidnei Manoel Rodrigues.

O Observatório FIESC atua em diferentes frentes, entre as quais estão Câmaras Setoriais, Tendências Tecnológicas, o Programa de Desenvolvimento Industrial Catarinense (PDIC) e as áreas de economia e saúde.

A disponibilização de informações e análises é feita através de uma plataforma digital, o Portal Setorial. Nele, qualquer pessoa (mediante cadastro prévio) pode acessar: 
- Observatório Analisa – matérias e análises em diferentes temas, como economia, saúde, educação e tecnologia;
- Indicadores – espaço onde são disponibilizados conjuntos de indicadores setoriais em painéis dinâmicos e intuitivos;
- Exporte Agora – plataforma do Centro Internacional de Negócios (CIN) da FIESC que apoia as empresas a encontrarem mercados para seus produtos e serviços;
- Tendências – área onde são monitoradas e compartilhadas as principais tendências para a indústria catarinense com suporte de um sistema de inteligência e análises, em tempo real, de patentes e notícias sobre tecnologia.
- Monitora FIESC – que posiciona o setor industrial e a sociedade catarinense a respeito do andamento do cronograma e cumprimento dos prazos das obras de infraestrutura no Estado.

O Portal Setorial ainda disponibiliza informações sobre formas de captação de recursos e agentes de fomento para apoiar ideias e projetos inovadores, infográficos e diversas publicações. Ou seja, a ferramenta disponibiliza dados de diferentes etapas do processo. Munida de informações econômicas, tecnológicas e de mercado, a indústria consegue desenhar e alimentar um plano de negócio e reduzir o risco da tomada de decisão.

Dados de saúde na ponta dos dedos
Saúde é um dos temas estratégicos estudados pelo Observatório FIESC, que monitora diversos indicadores disponibilizados no Portal Setorial. “No Brasil, como em muitos outros países, não há uma cultura de gestão e análise de dados, mas estamos evoluindo e percebendo os ganhos desta prática para realizar diagnósticos mais precisos, elaborar estratégias e planos de ação voltados para promoção da saúde, identificar oportunidades de negócios e de inovação, bem como tomar decisões sobre investimentos e destino para exportação”, exemplifica Angélia Berndt, Analista de Inteligência do Observatório FIESC. “O acesso a dados na área da saúde é fundamental para aumentar a assertividade tanto de projetos empresariais quanto de governamentais”, completa Berndt.

O Portal Setorial possui dados de saúde nos temas benefícios previdenciários (B91 – acidentários), mortalidade da população, afastamento do ambiente de trabalho, acidentes de trabalho, beneficiários de plano de saúde, receitas de contraprestação de planos de saúde. Os dados são apresentados de maneira estruturada e organizada e com várias ferramentas visuais, podendo ser filtrados por município do estado ou setor econômico, por exemplo.



A plataforma ainda monitora as tendências e notícias de saúde publicadas em sites de fontes renomadas, como Ministério da Saúde, Center of Disease Control (CDC), Stanford, Harvard, McKinsey e MIT. Entres os temas mais citados estão healthcare, biotecnologia, doenças crônicas, gestão em saúde, fármacos e segurança no trabalho.

A tecnologia tem sido a grande aliada da área da saúde, não só para o monitoramento de indicadores e tendências, mas também para a gestão da área através de softwares específicos e no desenvolvimento de diversas ferramentas de saúde digital, como os werables (dispositivos vestíveis) e sistemas de telessaúde. O acompanhamento de sinais vitais e dados de saúde pessoais e o histórico de consultas de paciente em um banco de dados permite, por exemplo, diagnósticos mais precisos e identificação de riscos, possibilitando uma prevenção mais eficiente.
 
Trabalho conjunto para melhoria da saúde em SC
A análise dos dados de saúde monitorados pelo Portal Setorial aponta para a necessidade de trabalhos conjuntos entre sociedade civil, empresas e poder público. Os afastamentos e óbitos, por exemplo, são muito mais causados por doenças não relacionadas ao trabalho do que por doenças ocupacionais, o que não diminui a necessidade de se trabalhar a prevenção nesses dois contextos. O crescimento das doenças crônicas não transmissíveis (DCNT), por exemplo, está se tornando um problema de saúde pública, que impacta não só o sistema de saúde público como nas empresas, por conta dos afastamentos do ambiente de trabalho e do comprometimento da produtividade. “Saúde é uma preocupação coletiva e os dados do Portal Setorial são públicos e podem ser usados na definição de bandeiras de parcerias público-privada em busca da melhoria da saúde da sociedade como um todo”, destaca Berndt. “Além da prevenção das DCNT, outro desafio que a sociedade brasileira terá que enfrentar é o envelhecimento saudável e produtivo”, destaca. “E se a tecnologia nos ajudou a prolongar a vida, agora ela será fundamental como uma ferramenta para vencer os desafios deste novo perfil populacional”, acredita a Analista de Inteligência do Observatório FIESC.

O próprio Observatório FIESC e o Portal Setorial estão se apoiando na tecnologia para seu amadurecimento. “Estamos passando por uma profunda transformação tecnológica com um conjunto de tecnologias voltadas para Big Data, com o domínio dessas tecnologias produziremos ainda mais conhecimento, e faremos análises preditivas”, adianta Berndt. “Teremos a possibilidade de estudar fenômenos complexos e responder a perguntas importantes, como por exemplo, qual o capital humano disponível para a indústria daqui 5 anos, qual será o impacto do acidente de trabalho na economia, as tendências de doenças do futuro. Tudo isso através de estudo de reconhecimento de padrões e do uso de machine learning, que trabalha com dados estruturados e não estruturados”, adianta.

Saiba mais sobre o Observatório FIESC em https://www.observatoriofiesc.com.br/.

Notícias Relacionadas